sexta-feira, 19 de abril de 2013

Só para casados ,Baixo Desejo Sexual "Libido"



Várias conjecturas já foram feitas para tentar explicar o baixo desejo sexual.
Algumas delas, na esfera social, levantam discussões sobre a superpopulação mundial, em que a forma da natureza diminuir e controlar a natalidade (número de nascimentos) seria suprimir o interesse sexual.
Conjecturas do ponto de vista orgânico procuram responsabilizar o balanço alterado de algumas substâncias cerebrais pela diminuição
da motivação sexual, ou mesmo, culpar algum defeito físico ou alguma doença pelo desinteresse.
Já a perspectiva psíquica aborda traumas e inibições sofridas, muitas vezes, em tenra idade.
A questão é que hoje, na atual forma da medicina ver os transtornos e as doenças em geral, o que determina os nossos males é uma rede intrincada de fatores. Na grande maioria das vezes, estes fatores agem conjuntamente, reforçando-se mutuamente.
Dessa forma, ao se falar em Transtornos do Desejo Sexual, estamos discutindo uma série de causas diferentes, mas com uma forma de apresentação clínica que pode variar apenas entre dois quadros distintos: O Desejo Sexual Hipoativo e a Aversão Sexual.
Aversão sexual
A aversão sexual ou evitação fóbica nada mais é do que o sofrimento causado pela premente necessidade de evitação de oportunidades e de encontros sexuais com parceiros, devido a sensações de desagrado, de medo, de "nojo", de repulsa e de perigo iminente.
Por vezes, a razão da repulsa são as secreções genitais; em outros casos, o simples pensar em sexo, o toque ou o beijo já é evitado com angústia. Também podem aparecer sinais de pânico, como náuseas, suor excessivo e falta de ar quando a pessoa tenta enfrentar esse medo, aproximando-se de seu parceiro.
Desejo sexual hipoativo
O desejo sexual hipoativo é a diminuição ou ausência total de fantasias e de desejo de ter atividade sexual. Simplesmente, a pessoa sente que tanto faz ter sexo ou não, pois não faz falta para si. ''Há um grande sofrimento por sentir essa desmotivação e pelos problemas que causa a um casal''.
O que causa o baixo desejo sexual
Sempre devemos observar se há alguma causa orgânica determinando a baixa do desejo ou a aversão, como, por exemplo, os desequilíbrios hormonais, os nódulos, infecções nos genitais ou o uso de algumas medicações que têm, como efeito colateral, a diminuição do apetite sexual.
Algumas doenças psiquiátricas, como a depressão, podem também suprimir a motivação por sexo.
As causas psicológicas mais profundas são:
situações traumáticas de abuso sexual,
mensagens anti-sexuais durante a infância,
comportamento sedutor por parte dos pais,
dificuldade em unir amor com sexo na mesma pessoa (esposa X prostituta),
culpas,
raivas entre o casal,
competição temida com o pai ou mãe, entre outros.
Existe cura para os transtornos do desejo sexual?
Os problemas de desejo são bastante desgastantes, pois acabam afetando toda a motivação de vida de uma pessoa e também de seu cônjuge ou parceiro.
Entretanto, existe tratamento.
É recomendável procurar um psiquiatra especializado em sexualidade humana para fazer uma avaliação. Em primeiro lugar, será necessário examinar se seu problema não é orgânico.
Depois, uma revisão será feita para ver se existe alguma medicação que possa ser usada para aliviar os sintomas, visto que, em alguns casos de aversão, por exemplo, certas medicações podem ajudar muito.
Geralmente, alguma forma de psicoterapia é indicada. Pode ser:
a Cognitivo-Comportamental (tarefas),
a Nova Terapia Sexual (combina tarefas com terapia focal) e
a Psicoterapia de Orientação Analítica (mais utilizada para elaboração de traumas mais profundos).
A terapia pode ser tanto individual quanto de casal.

Quarentão fala para Jairo Bouer: O que fazer para resolver o desaparecimento da libido?
Jairo Bouer: Quarentão, é preciso entender porque a libido está desaparecendo já que 40 anos é muito cedo para isto começar a acontecer ou acontecer abruptamente. Para começar, você precisa passar por um médico. Nesta faixa de idade, os fatores mais comuns para a queda da libido ou
é um problema psicológico com a relação ir mal ou muitas vezes a depressão, tristeza ou estresse. Estas são as principais causas nesta faixa de idade. Depois viriam os fatores orgânicos; o nível de testosterona, alguma condição de saúde que a pessoa não conheça. Mas é importante que você passe numa consulta médica.

Perda de libido também afeta os homens

O urologista Márcio Carvalho, do Centro de Informações e Estudos sobre a Sexualidade de Maringá (Ciesma), explica que os homens também são afetados pela perda de libido e, mais uma vez, isso não representa, necessariamente, a falta de amor pela parceira.
De acordo com o especialista, basicamente existem quatro fatores que provocam a falta do desejo no homem: "O primeiro é o desequilíbrio hormonal ou a andropausa (mais corretamente distúrbio androgênico do envelhecimento masculino), que acarreta na perda parcial ou mesmo completa do desejo sexual, associado com perda das fantasias ou pensamentos ligados ao sexo e disfunção erétil (impotência)", explica.
"O indivíduo fica até meses sem sexo e não sente falta, e é a esposa que vai procurá-lo. Em algumas vezes a potência sexual até está presente, ou seja, ele faz sexo ‘empurrado’ pela parceira, mas sem desejo algum".

O segundo bloqueio da libido pode vir de problemas emocionais como tristeza e depressão. Nesta situação, a pessoa não quer nada que lhe dê prazer, não quer se divertir, se alimentar ou fazer sexo.
A terceira causa da ausência de libido pode estar relacionada ao uso de remédios contra a depressão ou a ansiedade. "Muitas vezes o paciente está tomando o medicamento e não percebe a perda do desejo até que a esposa começa a chamar a atenção dele", afirma Carvalho.
É uma situação difícil, porque somente com a interrupção do tratamento ele vai recuperar o desejo, mas se não tratar o problema (depressão/ansiedade) também terá comprometido a libido".

Outra causa provável da falta de interesse sexual é o desgaste emocional causado pela crise no relacionamento, inclusive com a perda da libido de ambos.
O médico alerta também para o uso de medicamentos como o Viagra, que não devem ser usados com intenção de ‘acordar’ o apetite sexual. Eles são destinados para quem tem problemas de ereção e só funcionam com o desejo presente.
"Se não houver desejo, o estimulante é inútil", enfatiza o urologista. A solução para a perda do desejo sexual é trabalhar na fonte ou na raiz do problema, somente assim o tratamento vai surtir o efeito esperado.
Para trazer o prazer de volta é preciso investigar
·         O tratamento mais eficiente para retomar o desejo sexual é o multidisciplinar. O apoio de médicos e psicólogos ajuda o paciente a superar problemas físicos e emocionais que causam a perda da libido.
·         Os parceiros são o segundo grupo mais afetado pelos males que causam a perda de desejo sexual, por isso mesmo é fundamental que participem do tratamento. O apoio da pessoa amada e a chance que o paciente tem de expressar o que sente e ouvir o parceiro podem ajudar e muito para que os dois encarem com mais tranquilidade o processo de cura.
·         O paciente com perda da libido, seja homem ou mulher, por períodos prolongados deve buscar ajuda. Segundo a sexóloga Eliane Maio, o paciente deve passar por médicos que possam examiná-lo, neste caso, analisar o aspecto da saúde física do paciente. Depois desta análise, verifica-se quais seriam os fatores; se os físicos estiverem organizados, trata-se os emocionais que possam estar bloqueando o desejo.
·         A anorexia sexual e males similares são diferentes da situação em que a pessoa perde o desejo apenas pelo parceiro. No segundo caso, a terapia de casal ajuda a esclarecer os pontos de atrito e, se for do interesse de ambos, recuperar a afetividade na relação. Seja qual for a situação, a cura começa com uma conversa sincera com o parceiro.
Depressão
O tratamento da depressão exige paciência do casal, porque a medicação compromete a libido, entretanto a ausência do tratamento também causa o mesmo efeito. A cumplicidade e a paciência do parceiro ajudam o paciente a se recuperar mais rápido.
Elas sofrem mais
A falta de libido é mais comum entre as mulheres por causa da educação repressora. Falar sobre o problema pode trazer alívio. A repressão causa sofrimento e pode ser somatizada em sequelas diversas como depressão, síndrome do pânico, entre outras.


Autora:
Dra. Luciana Parisotto




Postar um comentário

liderlagoinha@gmail.com