quarta-feira, 24 de abril de 2013

QUEM CASA QUER CASA? ...OU QUER LAR?

fonte www.adital.com.br
“A verdadeira felicidade está na própria casa, entre as alegrias da família”.
( Tolstoi )
 Acordei aborrecido. Todos foram para a fazenda. Sentei-me ao lado da piscina. Vejo o madeiramento da varanda quase se encostando à mangueira. O barulho da água e o cri-cri do pássaro no ninho me irritam um pouco. Os carros na garagem ... não sei onde guardei as chaves. Não importa. Resolvi dispensar os
empregados. Está tudo muito cinza. O envidraçado do salão de jogos, fechado. A sala de musculação, ainda aberta desde a última sexta. Engraçado... olho para os lados e vejo que tudo o que todos procuram está tão perto de mim e ao mesmo tempo me parece tão distante.
Há um grande vazio até onde meus olhos vêem e o pensamento alcança. Passaram-se nervosos 40 minutos nessa cadeira. Hoje será eterno.
Tocaram a companhia. Deve ser o jardineiro; acho que não vou atender. Insistente em demasia. Ouço vozes de crianças. São meus filhos. Desistiram da viagem.
Abraços, beijos correria. Não sei o porquê, mas o ar parece diferente. Mais leve. A água da piscina parece mais azul. Chamei minha filha; que tal dar-mos uma olhadela naquele ninho? Será que nasceram novos filhotes? Uma felicidade toma conta de meu peito.
Sinto que sem a minha família nada tem sentido. Lembrei-me que outro dia li no livro do Deppack Chopra, - “As Sete Leis Espirituais Para O Sucesso” - que tudo que precisamos para que sejamos felizes é de graça. Acho que é verdade. Dinheiro, bens... são coisas necessárias, mas compreensão, amor, carinho, afeto, saúde, amizade e paz são coisas que não tem preço. São essas coisas e essas pessoas que nos movem a alcançar objetivos.
Decidi que devo trabalhar menos e curtir mais o hoje, retribuir o carinho, ouvir a reclamação, olhar mais para fundo dos olhos das pessoas, dar bom dia aqueles que não se conhecem, ler um gibi do cascão, jogar fora a página do jornal que trata de violência, dar a partida no carro e ir para lugar algum.
Essa minha experiência de hoje me fez sentir que eu preciso dos outros, eu preciso do mundo e talvez outros e o mundo precisem de mim. Eu preciso estar à disposição para que estejam à minha disposição. A minha saúde e a saúde da minha família está no lar, na união.
Tudo são os olhos de quem o vê. Agora sinto que tudo tem mais cor e em tudo há mais vida. Este será um graaaannde dia.
“Paz e harmonia: eis a verdadeira riqueza de uma família”.
(Benjamin Franklin)

Jorge Gaidarji. Bacharel em Direito e Educação Física. Especialista em Direito Público. Analista Judiciário do Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso do Sul.

fonte  http://www.portaldafamilia.org/artigos/texto120.shtml

Postar um comentário

liderlagoinha@gmail.com