segunda-feira, 29 de abril de 2013

CONSELHOS PARA UMA BOA ESCOLHA AFETIVA


Conselho um
escolhendo o conjugue 



Namoro,Família,Casamento
Fonte:http://www.freedigitalphotos.net/


O apóstolo Paulo foi líder, mestre e conselheiros do Jovem Timóteo. Uma leitura atenciosa das duas Epístolas que lhe escreveu contém instruções gerais que tinham o propósito de torná-lo bem sucedido em todas as áreas da vida: social, afetiva, espiritual e vocacional. Seus conselhos são importantes para o jovem estabelecer uma boa escolha efetiva com comprometimento para casamento e vida familiar. Veja seus conselhos:

Estabeleça vínculos sociais construtivos, firmes e permanentes
Paulo menciona os vínculos de Timóteo com a mãe, com a avó, com
a infância, com os amigos jovens de ambos os sexos como se fossem irmãos, vínculo respeitável com pessoas mais velhas, vínculos sociais de cidadania com responsabilidade e vínculos com seu mentor espiritual como pai e filho. Isso resume a integralidade das áreas sociais que constituem e constroem a história da pessoa.
Esses vínculos são a história da própria pessoa, e não podem ser descartados, desprezados, esquecidos, nem destruídos por uma aventura afetiva, porque a realização conjugal e familiar é continuidade da história que já vem sendo edificada desde a infância.
A vida não pode ser dividida e vivida intensamente em partes sem afetar as demais áreas que a integram porque as áreas desprezadas ficarão enfraquecidas e doentias e, se a base é fraca ou doente, o que é construído em cima dessa base pode desmoronar ou morrer.
Vínculos sociais saudáveis geram equilíbrio emocional, geram um ideal feliz para a vida conjugal e familiar, geram uma perspectiva de vida futura feliz, geram disposição para estudar, trabalhar, construir, conquistar, geram paciência, estratégia para o futuro, geram respeito e apreço por si mesmo, pelos familiares, pelos amigos, pelo semelhante e pelo meio ambiente.
Portanto, é necessário preservar e edificar os vínculos sociais históricos para que os novos vínculos sociais sejam bem constituídos sobre as bases dos vínculos já estabelecidos.
Viver uma “grande paixão” que desestabilize os vínculos com a própria história é cometer suicídio social, emocional, espiritual, é abortar o futuro.
Então, a primeira coisa a fazer para acertar na escolha do parceiro para vida amorosa e conjugal é edificar as relações de família, de amizade, de cidadania e de vida emocional e espiritual, e pensar na realização afetiva como continuidade desses vínculos sociais históricos.
Manassés Herculano
Pastor da Igreja Redenção
(011) 2351-3988

fonte:http://www.casaisnaplenitude.com.br/page_129.html
Postar um comentário

liderlagoinha@gmail.com