quarta-feira, 17 de abril de 2013

A Origem do Carnaval



O Carnaval, essa festa que arrebata multidões para as ruas, promove desfiles suntuosos, comilança, excessos em geral e também muita violência, liberalidade sexual etc. Ao estudarmos a origem do Carnaval, vemos que ele foi uma festa instituída para que as pessoas pudessem se esbaldar com comidas e festa antes que chegasse o momento de consagração e jejum que precede a Páscoa, a Quaresma.
Veja o que a The Grolier Multimedia Encyclopedia, 1997 nos diz a respeito:


"O Carnaval é uma celebração que combina desfiles, enfeites, festas folclóricas e comilança que é comumente mantido nos países católicos durante a semana que precede a Quaresma. Carnaval, provavelmente vem da palavra latina "carnelevarium" (Eliminação da carne), tipicamente começa cedo no ano novo, geralmente no Epifânio, 6 de Janeiro, e

termina em Fevereiro com a Mardi Gras na terça-feira da penitência (Shrove Tuesday)." (The Grolier Multimedia Encyclopedia, 1997. Traduzido por Irlan de Alvarenga Cidade)

Em contra partida vemos que isso era apenas um pretexto para que os romanos e gregos continuassem com suas comemorações pagãs, apenas com outro nome, já que a Igreja Católica era quem ditava as ordens na época e não era nada ortodoxo se manter uma comemoração pagã em meio a um mundo que se dizia Cristão.
"Provavelmente originário dos "Ritos da Fertilidade da Primavera Pagã", o primeiro carnaval que se tem origem foi na Festa de Osiris no Egito, o evento que marca o recuo das águas do Nilo. Os Carnavais alcançaram o pico de distúrbio, desordem, excesso, orgia e desperdício, junto com a Bacchanalia Romana e a Saturnalia. Durante a Idade Média a Igreja tentou controlar as comemorações. Papas algumas vezes serviam de patronos, então os piores excessos eram gradualmente eliminados e o carnaval era assimilado como o último festival antes da ascensão da Quaresma. A tradição do Carnaval ainda é comemorada na Bélgica, Itália, França e Alemanha. No hemisfério Ocidental, o principal carnaval acontece no Rio de Janeiro, Brasil (desde 1840) e a Mardi Gras em New Orleans, E.U.A. (dede 1857). Pré-Cristãos medievais e Carnavais modernos tem um papel temático importante. Eles celebram a morte do inverno e a celebração do renascimento da natureza, ultimamente reunimos o individual ao espiritual e aos códigos sociais da cultura. Ritos antigos de fertilidade, com eles sacrifícios aos deuses, exemplificam esse encontro, assim como fazem os jogos penitenciais Cristãos. Por outro lado, o carnaval permite paródias, e separação temporária de constrangimentos sociais e religiosos. Por exemplo, escravos são iguais aos seus mestres durante a Saturnália Romana; a festa medieval dos idiotas inclui uma missa blasfemiosa; e durante o carnaval fantasias sexuais e tabus sociais são, algumas vezes, temporariamente suspensos." (The Grolier Multimedia Encyclopedia, 1997. Traduzido por Irlan de Alvarenga Cidade)
A Enciclopédia Grolier exemplifica muito bem o que é, na verdade, o carnaval. Uma festa pagã que os católicos tentaram mascarar para parecer com uma festa cristã, assim como fizeram com o Natal. Os romanos adoravam comemorar com orgias, bebedices e glutonaria. A Bacchalia era a festa em homenagem a Baco, deus do vinho e da orgia, na Grécia, havia um deus muitíssimo semelhante a Baco, seu nome era Dionísio, da Mitologia Grega Dionísio era o deus do vinho e das orgias. Veja o que The Grolier Multimedia Encyclopedia, 1997 diz a respeito da Bacchanalia, ou Bacanal, Baco e Dionísio e sobre o Festival Dionisiano:
"O Bacanal ou Bacchanalia era o Festival romano que celebrava os três dias de cada ano em honra a Baco, deus do vinho. Bebedices e orgias sexuais e outros excessos caracterizavam essa comemoração, o que ocasionou sua proibição em 186 dC." (The Grolier Multimedia Encyclopedia, 1997. Traduzido por Irlan de Alvarenga Cidade)

Essa descrição da Bacchanalia encaixa como uma luva em Carnaval
"Da Mitologia Romana, Baco era o Deus do vinho e da orgia. O filho de Semele e Júpiter, Baco era conhecido pelos gregos como Dionísio. Sua esposa era Ariadine."
"Dionísio era o antigo deus grego da fertilidade, danças ritualísticas e misticismo. Ele também supostamente inventou o vinho e também foi considerado o patrono da poesia, música e do drama. Na lenda Órfica Dionísio era o filho de Zeus e Persephone; em outras lendas, de Zeus e Semele. Entre os 12 deuses do Monte Olimpo ele era retratado como um bonito jovem muitas vezes conduzido numa carruagem puxada por leopardos. Vestido com roupas de festa e segurando na mão uma taça e um bastão. Ele era geralmente acompanhado pela sua querida e atendido por Pan, Satyrs e Maenades. Ariadine, era seu único amor."
"O Festival Dionisiano era muitas vezes orgíaco, adoradores algumas vezes superavam com êxtase e entusiasmo ou fervor religioso. O tema central dessa adoração era chamado Sparagmos: deixar de lado a vida animal, a comida dessa carne, e a bebida desse sangue. Jogos também faziam parte desse festival." (The Grolier Multimedia Encyclopedia, 1997. Traduzido por Irlan de Alvarenga Cidade)

O Festival Dionisiano então, não parece ser a mesma coisa que a Bacchanalia e o Carnaval?
Nós, os Cristãos, não devemos concordar de modo algum com essa comemoração pagã, que na verdade é em homenagem a um falso deus, patrono da orgia, da bebedice e dos excessos, na verdade um demônio. Pense nisso.

Autor: Irlan de Alvarenga Cidade

A Origem do Carnaval no Brasil
Dez mil anos antes de Cristo, homens, mulheres e crianças se reuniam no verão com rostos mascarados e os corpos pintados para espantar os demônios da má colheita. As origens do carnaval têm sido buscadas na mais antigas celebrações da humanidade, tais como as Festas Egípcias que homenageavam a deusa Isis e ao Touro Apis. Os gregos festejavam com grandiosidade nas festas Lupercais e Saturnais a celebração da volta da primavera, que simbolizava o Renascer da Natureza. Mas num ponto todos concordavam, as grandes festas, como o carnaval, estão associadas a fenômenos astronômicos e a ciclos naturais. O carnaval se caracteriza por festas, divertimento públicos, bailes de máscaras e manifestações folclóricas. Na Europa, os mais famosos carnavais foram ou são: os de Paris, Veneza, Munique e Roma, seguidos de Nápoles, Florença e Nice.

Carnaval no Brasil
O carnaval foi chamado de Entrudo por influência dos portugueses da ilha da Madeira, Açores e Cabo Verde, que trouxeram a brincadeira de loucas correrias, mela-mela de farinha, água com limão, no ano de 1723, surgindo depois as batalhas de confetes serpentinas. No Brasil, o carnaval é festejado tradicionalmente no sábado, domingo, segunda e terça-feira anteriores aos quarentas dias que vão da quarta-feira de cinzas ao domingo de Páscoa. Na Bahia, é comemorado também na quinta-feira da terceira semana da Quaresma, mudando de nome para Micareta. Esta festa deu origem a várias outras em estados do Nordeste, todas com características baianas, com a presença indispensável dos Trios Elétricos e são realizados no decorrer do ano; em Fortaleza realiza-se o Fortal; em Natal, o Carnatal; em João Pessoa, a Micaroa; em Campina Grande, a Micarande; em Maceió, o Carnatal Fest; em Caruaru, o Micarú; no Recife, o Recifolia, já extinto.

Carnaval Atualidade
Festa popular, o carnaval ocorre em regiões católicas, mas sua origem é obscura. No Brasil, o primeiro carnaval surgiu em 1641, promovido pelo governador Salvador Correia de Sá e Benevides em homenagem ao rei Dom João IV, restaurador do trono de Portugal. Hoje é uma das manifestações mais populares do país e festejado em todo o território nacional.
O carnaval é um conjunto de festividades populares que ocorrem em diversos países e regiões católicas nos dias que antecedem o início da Quaresma, principalmente do domingo da Qüinquagésima à chamada terça-feira gorda. Embora centrado no disfarce, na música, na dança e em gestos, a folia apresenta características distintas nas cidades em que se popularizou.
O termo carnaval é de origem incerta, embora seja encontrado já no latim medieval, como carnem levare ou carnelevarium, palavras dos séculos XI e XII, que significava a véspera da quarta-feira de cinzas, isto é, a hora em que começava a abstinência da carne durante os quarenta dias nos quais, no passado, os católicos eram proibidos pela igreja de comer carne.
É possível que suas raízes se encontrem num festival religioso primitivo, pagão, que homenageava o início do Ano Novo e o ressurgimento da natureza, mas há quem diga que suas primeiras manifestações ocorreram na Roma dos césares, ligadas às famosas saturnálias, de caráter orgíaco. Contudo, o rei Momo é uma das formas de Dionísio - o deus Baco, patrono do vinho e do seu cultivo, e isto faz recuar a origem do carnaval para a Grécia arcaica, para os festejos que honravam a colheita. Sempre uma forma de comemorar, com muita alegria e desenvoltura, os atos de alimentar-se e beber, elementos indispensáveis à vida.

Cinzas de um Carnaval
Por vinte anos temos pesquisado sobre as mazelas do carnaval, tomando como base os noticiários da grande imprensa e o resultado é que de 1988 à 1993 morreram 892 pessoas durante o carnaval. Só no carnaval de 2006 foram registrados 41 homicídios e no carnaval seguinte 19 pessoas. No carnaval de 2008 em São Paulo morreram nas estradas 34 pessoas; em Belo Horizonte aconteceram 300 acidentes (um verdadeiro carnaval de acidentes), com 300 feridos e 24 mortos; num balanço geral da Polícia Rodoviária Federal o carnaval terminou com 128 mortos e 1.472 feridos em acidentes. Em Santa Catarina um carnaval de tragédias em 2009 com 27 pessoas mortas.
No carnaval de 2007 o investimento das 13 escolas do grupo especial ficou em torno de 59,2 milhões. Só a Beija-Flor gastou R$ 7 milhões. A escola de samba Salgueiro mostrou na avenida ritual de adoração às feiticeiras (líderes espirituais). Já a Unidos da Tijuca no seu carro abre-alas, trouxe a figura de um enorme diabo
Com o enredo "Metamorfoses do Reino Natural à corte Popular do Carnaval - As transformações da vida, a Vila Isabel falou da evolução da espécie humana, desde a origem como macaco até o homem moderno; a escola Vizinha Faladeira, com enredo "Oduduya, a volta ao templo de criação", no seu carro trouxe o deus africano que iluminará o caminho das crianças para o despertar de Uma Nova Era.
A Beija-Flor de Nilópolis mostrou no seu carnaval expressões africanas e referência ao candomblé, um dos componentes da comissão representava exu.
Em 2008 o preço da festa do carnaval foi de R$ 85 milhões promovido pelo poder público e quem pagou essa conta foi o contribuinte, as três esferas do governo deram verbas para promover a festa de Mamom na seguinte ordem: Governo Federal R$ 12 milhões, Governo Estadual 5 milhões e a Prefeitura com 5,2 milhões. Nesse ano a falta de controle sobre o gasto no carnaval foi alvo de CPI na câmara municipal do Rio.

Mangueira perdeu: Jesus ganhou (Jornal Mensageiro da Paz nº 1201 - maio de 1987)
Esta foi a capa desse jornal evangélico noticiando que Nonô da Mangueira não desfilaria mais na avenida, o irmão Durvalino Pires da Costa havia encontrado a verdadeira alegria na pessoa do Salvador Jesus Cristo. Dessa reportagem da irmã Maria José Resende, destaco o apelo do Irmão Durvalino: "A igreja precisa ir ao encontro do pecador, criando mais trabalhos para atraí-luz a Jesus Cristo. Eles estão sedentos da Palavra de Deus, mas não podem ir sozinhos à igreja".

O Carnaval do Rio de Janeiro Está em Decadência
Há duas décadas, é cada vez mais difícil encontrar blocos nas ruas durante a festa, e os tradicionais bailes de salão estão praticamente extintos. Qual seria a razão desse esvaziamento? Segundo o IBGE no Rio em 1970 os evangélicos não chegavam a 8% da população. Hoje somos 20%.
O Pr. William Lourenço Braga. Conhecido como Lilico Braga famoso mestre-sala da Mangueira (perdeu novamente). Hoje servo do Senhor, salvo por Jesus Cristo, graças a pregação do evangelho.
Pedro Paulo Nogueira, ex-ritmista da Mangueira. Neto do compositor Cartola, em 1989 se converteu ao evangelho ( a mangueira perdeu, Jesus sempre ganha); e segundo a reportagem de Élidi Miranda, Dona Zica, confessou Jesus como Salvador antes de falecer aos 89 anos, em 2003.
"Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve. Malaquias 3:18
Carnaval: Festa Pagã
Sambar com fé - religiões diferentes desfilam unidas na grande celebração profana que é o carnaval. Famosa integrante da Beija-Flor de Nilópolis leva a bandeira á igreja de São Jorge, antes do desfile, ela também vai a um centro espírita.
Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom. Lucas 16:13
No carnaval de 2009 a Império Serrano tinha o enredo como tema "A lenda das sereias e os mistérios do mar"; a Beija-Flor trouxe centenas de componentes fantasiados de orixás, prometendo dar um grande banho de axé na passarela. O que acontece com o crente assistindo esse desfile?
"Vede que não rejeiteis ao que fala; porque, se não escaparam aqueles que rejeitaram o que na terra os advertia, muito menos nós, se nos desviarmos daquele que é dos céus; " Hebreus 12:25

A Unidos da Tijuca aproveitou o Ano Internacional da Astronomia, e falou da influência do céu no imaginário do céu popular.
"E o sétimo anjo derramou a sua taça no ar, e saiu grande voz do templo do céu, do trono, dizendo: Está feito." Apocalipse 16:17

A Porto da Pedra trouxe ciganos e pais e mães-de-santo representando a curiosidade que temos em relação ao futuro.
"Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação," Hebreus 9:11

O Salgueiro trouxe os ritmistas fantasiados de ogãs, e a sua batucada evocaram divindades. Com a mesma idéia, a Viradouro falou da Bahia com o enredo "Vira Bahia, pura energia!". Qual a verdadeira intenção?
"Cegou-lhes os olhos, e endureceu-lhes o coração, A fim de que não vejam com os olhos, e compreendam no coração, E se convertam, E eu os cure." João 12:40



Autor: Everaldo Filho

A Parábola do Peixe e da Minhoca - Carnaval
Conta-se a história de um peixe que nadava sossegado no fundo do rio. Qual não foi a sua surpresa quando uma minhoca muito atraente apareceu de repente à sua frente.

- "Minhocas não nadam" pensou ele.
Atraído pelo movimento da minhoca o senhor peixe resolveu abocanhá-la. E num pulo só, vapt, a minhoca estava na sua boca.
- "Ui! O que é isto?" pensou o peixe ao sentir alguma coisa espetar a sua boca. Qual não foi a sua surpresa ao descobrir um anzol fisgado à sua boca. Desesperado, o peixe falou:
- "Como pode uma minhoca tão gostosa vir acompanhada por um anzol!!"

Moral da história:
O peixe abocanhou a minhoca apetitosa mas descobriu que estava com a boca cheia de morte!
Já faz muito tempo que a Igreja Católica Apostólica Romana determinou que os 40 dias que antecedem a Páscoa deveriam ser dedicados à preparação espiritual - jejum, orações etc. - da celebração da morte e ressurreição de Jesus Cristo. Já que durante a quaresma não era permitida a realização de bailes, banquetes ou qualquer outro tipo de festa, as pessoas começaram a concentrar nos dias que a antecediam todas as festas do período. Tudo era tolerado desde que a pessoa na quarta-feira de cinzas fosse à igreja pedir perdão.
Esta situação, somada à cultura africana dos escravos, resultou no que conhecemos como carnaval - um misto de folclore afro-brasileiro e extravagâncias. O aspecto do folclore é admirável e conta parte da identidade do povo brasileiro. A falsa idéia de "aproveitar a vida antes da quaresma" é que faz com que durante este período pessoas se embebedem, se droguem, se prostituam, traiam e criem um ambiente de permissividade inigualável.
A grande dificuldade é que as leis físicas não reconhecem este período em que "tudo é permitido", então muitos morrem de overdose, atropelados por bêbados, em acidentes de carro, jovens ficam grávidas, etc. Tão pouco as leis morais não desaparecem e aquela jovem que foi usada fisicamente sofre problemas de auto-estima, aquele que roubou vai para a cadeia e a culpa por causar acidentes, até com morte, lateja na mente do responsável.
As leis espirituais também não são abolidas durante o carnaval. Deus não se agrada do pecado de imoralidade, irresponsabilidade, egoísmo etc. Aqueles que vivem assim sofrem com a culpa, remorso, afastamento de Deus.
Felizmente estas mesmas leis espirituais garantem que:
Não existe pecado tão grande que não possa ser perdoado desde que haja arrependimento verdadeiro. O perdão de Deus está sempre à disposição de todo aquele que O busca com sinceridade. Busque a Deus agora com uma prece sincera!
Deus tem poder até para fazer com que as conseqüências difíceis do seu pecado sejam usadas para tornar você uma pessoa melhor. Arrepender-se é reconhecer o erro desejando mudar. O Pai Celeste está disposto a perdoar e ajudá-lo a viver uma nova vida. Busque a Deus agora com um coração arrependido e viva uma nova vida!
Se a "Parábola do peixe e da minhoca" fala da sua experiência pessoal, veja o que Jesus tem a lhe dizer:
"Venham a mim, todos vocês que estão cansados de carregar as suas pesadas cargas, e eu lhes darei descanso. Sejam meus seguidores e aprendam de mim porque sou bondoso e tenho um coração humilde; e vocês encontrarão descanso."


Autor: L. Roberto Silvado

Carnaval - Festa da Carne

Mais uma celebração vem por aí. O Brasil é tradicionalmente conhecido como o país do carnaval. Normalmente esta festa da carne, esta celebração pagã acontece no mês de fevereiro de cada ano. Em todas as cidades e principalmente nas capitais, milhares de pessoas se preparam para o tão sonhado acontecimento. Em algumas regiões semanas inteiras são dedicados aos foliões que se habilitam a percorrerem as principais avenidas atrás de um carro de som extravasando suas emoções e suas paixões carnais.
Um Site da Bahia faz o seguinte convite: "Pule o carnaval Carnal, lúdico, dilacerador, espiritualizado, físico, o Carnaval da Bahia é a maior festa urbana do Brasil, criada e mantida pelo povo. Uma manifestação espontânea, criadora, livre, pura, onde todos são-com maior ou menor competência-sambistas, frevistas, loucos dançarinos, na emoção suada atrás do som estridente, eletrizante, do trio. Ou no ritmo calmo, forte, tranqüilizante, orientalizado, do afoxé, incorporado num só movimento. Um ato de entrega, de transe e êxtase, de
liberação de todas as tensões reprimidas e da envolvência absoluta entre o real e o fantástico, capaz de, num único e frenético impulso, balançar o chão da praça."
Fantasias das mais variadas cores extravagantes e modelos com criatividades sem precedentes, desfilam pelas passarelas.
O culto à sensualidade já marca o compasso de espera e é a marca registrada dos componentes, dos integrantes das escolas de samba que desfilam seus carros alegóricos em meios às luzes dos refletores e câmaras de TVs tentando focar os corpos desnudos das mulheres em meios aos gritos desconexos vindo das arquibancadas abarrotadas de multidões esperando suas escolas passarem para serem aclamadas e reverenciadas como um culto explicito ao paganismo declarado.
Durante quatro dias toda esta movimentação aparentemente harmoniosa com ritmos atordoantes e alucinantes regados a bebidas alcoólicas e sexo sem limites enchem ilusoriamente o coração de seus participantes nos variados clubes das noites, na esperança de poderem neste espaço de tempo ceder sem nenhum temor a Deus às suas luxurias, na ignorância de que na quarta-feira confessando os seus excessos pecaminosos, através da figuração das cinzas, serão de seus pecados perdoados como se Deus tivesse permitido, dado o seu aval para outros deuses serem venerados e adorados nesta celebração.
Talvez você não concorde comigo, porém Infelizmente o maior inimigo do ser humano é a sua ignorância. A ignorância têm cegado o entendimento, a lucidez da mente, porém Deus declara com muita rigidez em sua Palavra, a Bíblia as seguintes advertências:
"O Senhor é longânimo, e grande em misericórdia, que perdoa a iniqüidade e a transgressão, que o culpado não tem por inocente, e visita a iniqüidade dos pais sobre os filhos até à terceira e quarta geração". Num 14:18
"os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito. Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz". Rm. 8.5-8,12-14

Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem em verdade o pode ser; e os que estão na carne não podem agradar a Deus. Portanto, irmãos, somos devedores, não à carne para vivermos segundo a carne; porque se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus.
"Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade par dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pelo amor. Os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências". Gal.5:13,24
"Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna". Gal.6:8

Amigo(a) internauta. No período de carnaval do ano 1976 eu me preparava mais uma vez para celebrar esta festa pagã com meus primos, quando Deus mudou radicalmente a história da minha vida. À convite de meu irmão Nilson R. Gouvêa escolhi participar naquele ano de um retiro de jovens em um local chamado Acampamento Clay na cidade de Paracambí-RJ. Em meio a vários jovens, Deus restaurou a minha vida naqueles dias. Deu-me uma nova visão da Vida Eterna, perdoou os meus pecados. A seguir Deus me preparou, me capacitou, me deu uma esposa maravilhosa, filhos maravilhosos e um ministério que pretendo continuar desenvolvendo com a Graça Dele até os últimos dias da minha vida. Nestes vinte e oito anos de vida com Deus não me arrependo um só instante daquele período de carnaval em que tomei a mais sábia decisão de todos os tempos, ou seja, Entregar-me sem reservas a Único e Soberano Deus dos deuses, Rei dos Reis e Senhor dos Senhores.
Naquela oportunidade impar lembro-me da declaração de entrega que fiz ao Senhor. Eu disse para Ele com toda sinceridade:"Senhor. Eis a minha vida em tuas mãos. Faz da minha vida aquilo que tu queres". Todas as bênçãos que tenho continuadamente obtido do Senhor teve a sua origem nesta simples, porém sincera declaração de entrega.
Hoje querido(a) amigo(a) Deus está lhe dando uma oportunidade através deste breve comentário. Ele quer que você mude, cancele os seus planos de "se envolver neste carnaval". Tome a melhor decisão de sua vida. Escolha Jesus Cristo.

Veja que você pode fazer:
·         Se arrependa de seus pecados
·         Confessá-os ao Senhor
·         Peça que Jesus faça morada em sua vida
·         Ande em novidade de vida.

Tome uma decisão inteligente e racional. Saia da ignorância e pare de ouvir os pedidos do diabo para que você se envolva mais uma vez este ano. Jesus está pronto para libertá-lo (a) desta prisão que você se encontra. Venha para a Vida, Venha para Jesus.
A verdadeira vida você só encontra em Jesus.
A verdadeira alegria está em Jesus
A verdadeira paz é Cristo Jesus
Jesus é o caminho, a verdade e a vida.
Em minhas palavras finais quero incentivá-lo (a) a procurar uma Igreja evangélica mais próxima de sua casa.
Veja a programação desta Igreja para o período de carnaval. Se inscreva nas atividades. Mude a sua trajetória radicalmente e me conte depois o que Deus fez em sua vida. Eu tenho a certeza absoluta que Jesus Cristo não vai decepcioná-lo (a). Sua vida não vai ser mais a mesma. Você vai experimentar a presença, a unção saudável do Espírito Santo em sua vida. Tudo vai ser diferente e coisas antigas vão ficar definitivamente para trás no passado


Autor: Pr Nélson R.Gouvêa 
Postar um comentário

liderlagoinha@gmail.com